Cultura 27/09/2017 10:00

Doces marcam devoção a São Cosme e Damião entre religiões afros e católica

Por Dinarte Assunção

Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo

Gêmeos de família nobre, Cosme e Damião nasceram na cidade de Egeia, por volta de 260 d.C. Os irmãos atuaram como médicos no Oriente Médio com grande sucesso, tratando também de doentes pobres, sem cobrar-lhes as consultas. Vítimas de perseguição pelo imperador romano Deocleciano, que não aceitava a propagação da fé católica pelos médicos, Cosme e Damião morreram por volta do ano 300, torturados e degolados.

No ano 630, o Papa Félix IV ordenou a canonização de São Cosme e São Damião. Em Roma, foi construída a Basílica dos Santos Cosme e Damião em homenagem aos dois mártires do cristianismo, e lá estão os restos mortais dos irmãos gêmeos. Relíquias também estão distribuídas em outros templos romanos e igrejas e mosteiros da Alemanha. No Brasil, as igrejas de São Cosme e São Damião ficam lotadas de fiéis, que vão às missas pagar promessas, celebrar e agradecer graças alcançadas por meio da fé nos santos padroeiros de crianças, médicos e farmacêuticos.

O dia de São Cosme e São Damião é celebrado pelos católicos e religiões afro-brasileiras em datas diferentes. Os seguidores do candomblé e da umbanda festejam os santos gêmeos em 27 de setembro. Já a Igreja Católica comemora São Cosme e São Damião em 26 de setembro, porque 27 é dedicado a São Vicente de Paulo, que morreu neste dia. No caso dos gêmeos, não se sabe com exatidão o dia de suas mortes. A Igreja Ortodoxa homenageia os santos no mês de novembro.

No dia de São Cosme e São Damião não pode faltar a distribuição de doces, com saquinhos recheados de guloseimas típicas que alegram a criançada.

No sincretismo religioso, para as religiões afro-brasileiras São Cosme e São Damião são os orixás Ibejis, espíritos que se manifestam em forma de crianças, por isso a tradição em distribuir doces em intenção aos santos e aos erês, como são chamados os espíritos infantis. Uma característica marcante na umbanda e no candomblé, em relação às representações dos santos, é que junto a Cosme e Damião aparece uma criança pequena vestida com trajes iguais aos deles. Essa criança é chamada Doum, Orixá de amor e alegria.

O Globo

Dinarte Assunção

Biografia Dinarte Assunção é jornalista formado pela UFRN. Atuou em redações como repórter de cotidiano, economia e política. Foi comentarista político da TV Ponta Negra. Atualmente é reporter do Portal No Ar e compõe a equipe do Meio Dia RN, na 98 FM. É autor do livro Sobre Viver - Como Venci a Depressão e as Drogas. Nas horas vagas, assa panquecas.

Descrição Ponto ID é um blog para noticiar o que importa. E nada mais.