Notícias com a categoria "tecnologia"

28/09/2017 08:45

Feira de Livros e Quadrinhos de Natal terá espaço para o ensino da robótica

A edição 2017 da Feira de Livros e Quadrinhos de Natal (FLiQ), confirmada para acontecer entre os dias 5 e 8 de outubro, contará com uma programação voltada para a ciência, por meio do ensino da robótica. Além de diversificar a programação, a iniciativa tem a proposta de aproximar a tecnologia dos visitantes. Este ano, o evento será realizado no Complexo Cultural da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte, na zona Norte da capital.

Para fazer a alegria dos transeuntes, a Roboeduc – primeira escola de robótica e programação do Brasil – estará com estande durante os três dias da FLiQ, onde será possível conversar, passear e até dançar com os “robôs humanoides”, que recebem esse nome por apresentar características semelhantes às dos seres humanos.

O ambiente também contará com um MakerSpace, lugar onde será demonstrado como funciona um laboratório de fabricação digital com impressora 3D, óculos de realidade virtual 3D e controle de robôs. Na ocasião, a população poderá se divertir com a makey makey, uma espécie de plaquinha que substitui o mouse e o teclado, permitindo conectar quaisquer objetos ao computador, tornando a atividade ainda mais divertida.

Durante a feira, o estande também cederá lugar a um espaço infantil, onde as crianças poderão usar a criatividade para criar estruturas diversas com blocos de montagens e a um Estúdio de Youtuber e Estação Chroma Key, especiais para produzir fotos e vídeos sob a orientação de um profissional.

28/09/2017 07:46

Como criminosos conseguem fraudar cartões e compras online?

A prática de crime no Brasil contra estabelecimentos comerciais não fica restrita à violência cotidiana das grandes e pequenas cidades do país. Muito pelo contrário: a internet também é um alvo fácil para criminosos, ainda escondidos pelo anonimato. E quais são as principais formas que bandidos utilizam para levar vantagem?

Segundo estudo realizado pela Konduto, empresa que oferece soluções antifraude para lojas virtuais, pelo menos um em cada 28 pedidos feitos no varejo é realizado por um criminoso de posse de um cartão de crédito clonado. E a atividade é feita sem necessidade de grandes códigos ou hackers com conhecimento avançado.

Se não identificado pela loja, quem sai perdendo é o comerciante, com uma compra que provavelmente terá estorno, e o usuário regular do cartão, que terá dor de cabeça ao ter que buscar providências contra uma compra que não realizou. Confira abaixo as principais ferramentas virtuais usadas pelos criminosos. É claro que usar qualquer uma delas de forma criminosa pode acarretar em prisão para o estelionatário.

Gerador de CPF

O sistema é simples e basicamente cumpre o que seu nome sugere: ele gera combinações aleatórias de 11 dígitos do CPF de acordo com a verificação do algoritmo da Receita Federal. A Konduto diz que, para fins de teste, conseguiu com um script gerar 300 números aleatórios de CPF, dos quais 50 estavam atrelados a uma pessoa de verdade (um em cada seis). Ter o número de CPF de uma pessoa em mãos pode levar à exposição de outros dados. Para evitar isso, as empresas passaram a não confiar apenas na checagem de dados cadastrais e a combinar isso com outras técnicas.

Gerador de cartão de crédito

Bastante semelhante ao de CPF, ele consegue criar aleatoriamente milhões de sequências numéricas que podem estar ligadas a um consumidor. Assim, os criminosos conseguiriam dados sem obter informações de vazamentos. Os números são testados em lojas virtuais com baixa segurança ao simular várias compras de valor baixo até que um cartão real seja descoberto. Para evitar os testadores de cartões, a recomendação para quem mantém uma loja virtual é criar uma página final da compra que não entregue a informação se a compra foi aceita ou não. Por parte das possíveis vítimas, é sempre importante checar o extrato ou habilitar algum tipo de notificação de operações com o cartão. Caso haja alguma compra de pequeno valor e não reconhecida, é possível tomar medidas o mais rápido possível.

VPN (Virtual Private Network)

Não, ela não serve apenas para ver a Netflix dos Estados Unidos. A VPN é uma rede privada de computadores que se conectam de maneira virtual (como seu nome diz). Ela permite uma conexão anônima com a internet usando qualquer navegador, já que mascara seu IP (que seria semelhante ao “RG do seu computador” na conexão). Além de brasileiros que só querem ver filmes ou de funcionários que buscam trabalhar remotamente, a VPN também é usada por fraudadores e hackers. Nesse caso, as fraudes são barradas com monitoramento do comportamento do comprador.

UOL

27/09/2017 10:42

Novo vírus exige ‘nudes’ para liberar o computador

Pelo menos no nome, o nRansom é apenas mais um programa malicioso do tipo ransomware, em que hackers “sequestram” arquivos e só liberam acesso mediante um resgate.

Porém, diferentemente de outros ataques, a “moeda” do nRansom é outra: selfies em que o usuário aparece sem roupas – mais conhecidas como “nudes”.

Segundo a empresa de segurança eletrônica Malware Hunter Team, o nRansom já infectou computadores ao redor do mundo. Uma vez que penetra um computador, o programa mostra a seguinte mensagem, que tem como pano de fundo imagens adulteradas do desenho Thomas e Seus Amigos:

“Seu computador foi bloqueado e só pode ser desbloqueado com um código especial”.

O programa oferece um endereço de email para contato e informa que o “preço” para o envio do código é um lote de 10 “nudes” do usuário. E os hackers informam que, depois de verificarem se as imagens realmente são do usuário, estas serão “vendidas na deep web”.

‘Sextorsão’

John Snow, especialista da empresa de segurança cibernética Kaspersky Lab, explica em um artigo em seu blog que este ransomware também é diferente porque simplesmente bloqueia o acesso ao computador em vez de cifrar arquivos. No momento, ele afeta apenas usuários de Windows.

Snow acredita ainda que os hackers podem usar as imagens íntimas para extorquir os usuários, “possivelmente pedindo mais fotos ou dinheiro”.

Mas o que fazer caso você seja infectado?

“Recomendamos, como sempre, que as pessoas não paguem resgate algum caso o computador seja infectado, especialmente com fotos íntimas”, explica o especialista.

Isso porque não há qualquer garantia de que os hackers cumprirão sua parte do trato.

O crucial é prevenir-se, principalmente com a instalação no computador de um antivírus que detecte o ransomware em questão – no caso, o arquivo “nransom.exe”.

A consultoria Pure VPN recomenda a instalação de algum programa antivírus – como o da Kaspersky – e diz que, no raro caso de o vírus conseguir se infiltrar, é possível desbloquear o computador pressionando simultaneamente as teclas Ctrl+Alt+Shift+F4 e executando uma análise do sistema.

A Pure VPN oferece ainda outros conselhos:

  • Não clique em links desconhecidos
  • Mantenha oculto seu endereço de IP (que funciona como uma carteira de identidade na internet)
  • Faça cópias de segurança de arquivos importantes em sites de backup em nuvem, como o Dropbox e o Google Drive, por exemplo
  • Use uma rede virtual privada (VPN), o que deixa seu computador “invisível” na internet

Os vírus do tipo ransomware se tornaram uma das formas de ataques cibernéticos mais comuns dos últimos anos. Apenas em 2017, os vírusWannaCry e NotPetya infectaram dezenas de milhares de computadores domésticos e de empresas em mais de 100 países.

G1

27/09/2017 09:39

TCU avalia acordo sobre expansão da banda larga no Brasil

O TCU (Tribunal de Contas da União) aprecia nesta quarta (27) uma divergência que trata do destino de quase R$ 10 bilhões de multas aplicadas nas empresas de telefonia e sua conversão em investimento na expansão de banda larga que pode vir a ser feito por empresas de telefonia em cidades de baixa renda.

Especificamente, está previsto que o ministro Bruno Dantas emita parecer sobre um relatório em que técnicos do TCU questionam a validade de um acordo entre Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) e Telefônica.

Para especialistas, porém, o julgamento definirá o destino de todos os demais acordos do gênero que a agência tem em andamento com outras empresas de telefonia.

O que está em jogo é o futuro do chamado TAC (Termo de Ajustamento de Conduta), que foi firmado, há um ano entre Telefônica e Anatel. As partes combinaram trocar multas da empresa que em valores atualizados somam R$ 2,8 bilhões (a maioria por problemas com orelhões) por investimentos na expansão da banda larga.

Pelo acordo, a Telefônica, apesar de atuar em São Paulo, se compromete a instalar uma rede de fibra ótica em 105 municípios indicados pela Anatel. Ter baixo índice de desenvolvimento e ser afastadas de centros urbanos desenvolvidos, mas ter volume razoável de usuários para o serviço, foram alguns critérios para selecionar as cidades.

Na análise desta quarta, se o TCU optar por pedir vista ou determinar que um novo TAC saia do zero, dificilmente haverá tempo hábil para refazer o acordo antes que a multa da Telefônica prescreva, em fevereiro, o que provavelmente vai parar na Justiça.

“Não temos como sugerir o prazo que o TCU tem que apreciar, mas procuramos informar sobre a situação. Deve ficar difícil recomeçar do zero, alterar completamente ou, a partir de um pedido de vista, isso se estender mais no tribunal”, diz Igor de Freitas, conselheiro da Anatel.

Sem a obrigação de cumprir o TAC, a empresa deve voltar seu foco de investimento a cidades de maior retorno financeiro, que são as mesmas onde já existe infraestrutura bem desenvolvida.

Segundo estudo do BCG, o avanço da banda larga fixa no país de 2010 a 2014 se concentrou na classe alta e grandes centros urbanos. Cerca de 1% do território representa 44% da receita do setor.

O caso da Telefônica não é único. Há oito processos, de sete empresas na Anatel. O da Oi foi questionado em 2016.

Segundo Carlos Ari Sundfeld, professor da FGV Direito e especialista em concessões, a proposta da Anatel foi converter em investimentos o dinheiro de uma grande quantidade de multas, dando suporte à expansão da internet sem ter de gastar dinheiro público, hoje escasso.

“A Anatel estudou a proposta por anos. Foi transparente. Busca dar suporte a um agressivo plano de expansão da banda larga. Causou certo espanto no setor e na agência a reação do TCU”, diz

Para Sundfeld, a decisão sobre a Telefônica balizará todos os demais acordos em andamento.

Gustavo Gachineiro, vice-presidente da Telefônica, diz que, se não for aprovado, “o TAC como instrumento de política pública morre”. O TCU diz que só vai se manifestar na deliberação do processo.

Além da Anatel, a área técnica do TCU criticou a atuação de outras agências, como a ANTT (de transportes terrestres), em casos de concessões de rodovias e ferrovias; e a Antaq (de transportes aquaviários), em portos.

27/09/2017 09:09

Twitter testa dobrar limite para 280 caracteres

O Twitter começou nesta terça-feira (26) um teste para dobrar o limite de suas publicações para 280 caracteres. O experimento será realizado com um número restrito de pessoas em quase todos os idiomas.

A empresa chegou a tuitar sobre a novidade. “Excitados com as novas possibilidades?”, perguntou na própria rede social.

De acordo com o Twitter, o teste é pedido de seus usuários, que afirmam não conseguir encaixar um pensamento completo em uma só publicação, cujo limite sempre foi de 140 caracteres.

Usuários que escrevem em japonês, chinês ou coreano não farão parte dos grupos escolhidos, já que têm idiomas nos quais é mais fácil se expressar em poucas letras, segundo o Twitter.

Dados da empresa apontam que apenas 0,4% de todos os tuítes em japonês atingiu o limite de 140 caracteres e a maioria usa apenas 15 letras. O índice sobe para 9% das publicações em inglês. A maioria delas usa 34 caracteres.

“Com base em análise de dados, a expectativa da plataforma é que apenas uma pequena quantidade de Tweets ultrapasse os 140 caracteres, mas que o espaço extra seja muito apreciado por aqueles que precisarem dele”, afirmou em nota o Twitter, que diz que “o DNA da plataforma nunca vai mudar”.

“O Twitter acompanhará a reação dos consumidores durante este teste.”

A empresa não explicou como foi feita a escolha do novo limite.

G1

27/09/2017 08:56

Brasileiros são os mais preocupados com ‘fake news’

“Business Insider” e outros destacam que o brasileiro está na dianteira em apreensão com “fake news”, entre 18 países pesquisados pela GlobeScan : 92% dizem concordar com a afirmação “Eu me preocupo com o que é verdadeiro e o que é falso na internet”.

Como mostra o quadro acima, França, Rússia e China estão na casa dos 80%. EUA, Turquia e Reino Unido, nos 70%.

No fim da tabela, na pesquisa que ouviu 16 mil entre janeiro e abril deste ano, aparecem os alemães como os menos atentos a “fake news”, apesar da campanha eleitoral no país: só 47% disseram se preocupar.

Segundo estudo do Universidade de Oxford, os alemães compartilham menos notícias falsas do que americanos, franceses e outros.

Nelson de Sá, Folha de S. Paulo

26/09/2017 14:56

Nova legislação ameaça funcionamento do Facebook na Rússia a partir de 2018

A Rússia ameaçou nesta terça-feira (26) desligar a rede social Facebook no próximo ano, caso a empresa não cumpra com a nova legislação que exige que os fornecedores de conteúdo na internet armazenem os dados pessoais de usuários russos em servidores situados no país. As informações são da EFE.

“A lei é obrigatória para todos. Conseguiremos que seja cumprida ou a companhia encerrará sua atividade na Rússia, como já ocorreu com o Linkedin. Não há exceções”, disse aos jornalistas Alexandr Zharov, chefe do Roscomnadzor, órgão encarregado de velar pelo cumprimento das normas no âmbito das comunicações.

A lei de proteção de dados, aprovada em julho em 2016, dá um prazo de dois anos para que os fornecedores (redes sociais e serviços de mensagem, entre outros) se adaptem à nova normativa que lhes obriga gravar e armazenar, durante seis meses, todas as conversas de seus clientes.

A empresa americana, portanto, tem até julho de 2018 para ter servidores em território russo, como o Twitter já anunciou que fará.

“Temos consciência de que o Facebook tem um grande número de usuários na Federação da Rússia, mas por outro lado sabemos que não é um serviço único e que existem outras redes sociais”, disse Zharov.

A companhia dirigida por Mark Zuckerberg, proprietária também da rede social Instagram e do serviço de mensagem WhatsApp, informou ao Roscomnadzor que estuda as opções para cumprir com a legislação.

“Não temos planos de inspecionar o Facebook em 2017, mas em 2018 planejaremos sim. Partimos da boa vontade, porque a companhia nos enviou uma carta oficial e até esse momento não vamos fazer inspeções”, afirmou Zhárov.

Perguntado a respeito, o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, disse hoje que o Facebook “é uma empresa comercial que ganha dinheiro e que deve fazer isso de acordo com as leis da Federação da Rússia”.

Pouco após a aprovação, os grandes operadores de telefonia e fornecedores de conteúdos advertiram que colocar em prática a normativa, chamada pelos críticos como de A Lei do Grande Irmão, custará dezenas de milhões de dólares.

Agência Brasil

26/09/2017 08:06

China bloqueia completamente o WhatsApp, diz jornal

O governo chinês bloqueou completamente nesta segunda-feira, 25, o acesso dos cidadãos locais ao aplicativo de mensagens WhatsApp. As informações são do jornal norte-americano The New York Times, citando relatórios da Symbolic Software, empresa francesa que monitora a censura digital na China.

Nos últimos meses, algumas funções do WhatsApp, como envio de fotos e mensagens de áudio, já vinham sendo bloqueadas pelo governo local. Agora, no entanto, até mensagens de texto não estão sendo enviadas. “O bloqueio agora é total”, disse Nadim Kobeissi, da Symbolic Software, em entrevista ao site norte-americano The Verge.

“Levou tempo para que o Grande Firewall Chinês [nome da barreira de segurança que impede que os chineses acessem sites como Google e Facebook] conseguisse barrar os protocolos usados pelo WhatsApp”, disse Kobeissi, que disse que os bloqueios começaram na última semana.

O Grande Firewall Chinês é uma medida adotada pelo governo chinês para evitar a divulgação de notícias sensíveis da esfera política, bem como dificultar a organização de movimentos políticos e sociais de protesto ao comando do país liderado pelo Partido Comunista Chinês.

Hoje, o WhatsApp não é exatamente popular na China – o app local WeChat tem a preferência dos usuários chineses –, mas é bastante usado pela população para se comunicar com estrangeiros. Outra diferença entre os dois aplicativos é que, enquanto o WhatsApp tem criptografia, o WeChat libera dados de seus usuários para o governo local.

O WhatsApp era um dos poucos aplicativos do Facebook que ainda funcionavam na China — a rede social foi banida do País em 2009. Hoje, o único app da empresa que ainda pode ser usado livremente no país asiático é o Colorful Balloons.

De acordo com os usuários chineses, o único jeito possível de usar o WhatsApp é usando serviços como VPN (rede privada virtual, na sigla em inglês). Eles permitem que as pessoas acessem uma conexão privada para ter um acesso aos servidores do serviço de mensagens que ficam no exterior.

Link Estadão

25/09/2017 08:56

Instagram passa a mostrar no perfil se a pessoa te segue de volta

O Instagram começou a mostrar no perfil de uma pessoa se ela te segue de volta ou não. Segundo a plataforma, a novidade está em fase de testes e aparece apenas para alguns usuários do app em celulares com Android. Não há previsão para o recurso ser exibido no aplicativo para iPhone (iOS) ou na versão Web. Ao acessar o perfil de alguém, a informação “segue você” aparece logo abaixo da biografia — área usada para descrição do dono da conta.

Já presente de forma similar no Twitter, o recurso permite descobrir de forma mais rápida quem te segue na rede social. Sem essa opção, o usuário deve acessar sua lista de seguidores, procurar por um perfil específico e, então, checar se a pessoa acompanha seus posts.

Para iPhone

Outra alternativa é usar aplicativos externos como o InstaReport. O app é grátis — com alguns recursos pagos —, está disponível apenas para iPhone (iOS), revela os usuários que não te seguem de volta e quem visualizou seu perfil no Instagram.

TechTudo

22/09/2017 11:09

Furacão Maria deixa internet mais lenta no Brasil

A passagem do furacão Maria por Porto Rico afetou as telecomunicações brasileiras durante a manhã e tarde dessa quinta-feira (21), deixando a conexão de internet lenta ao passar por outros países –no acesso a um site do exterior, por exemplo.

Folha teve acesso a uma resposta enviada pela TI Sparkle a profissionais da tecnologia da informação. A empresa, provedora de internet que trabalha com sistemas que fazem a comunicação do Brasil com o exterior, afirmou que o furacão fez com que as estações de trabalho em Porto Rico precisassem ter sua operação reduzida –o que afeta o tráfego de informação internacional em direção ao Brasil.

Profissionais da área também relataram problemas semelhantes com outras operadoras, mas em menor intensidade.

Em nota, a Tim, que faz parte do mesmo grupo de empresas da TI Sparkle, confirmou a instabilidade.

“A Tim informa que ao longo do dia alguns clientes podem ter percebido instabilidade no acesso a conteúdo de internet devido ao impacto no provedor internacional, que atende a companhia, decorrente de falhas geradas pela sequência de furacões que atingiu a região do Caribe”, diz a nota que afirma também que o tráfego já foi normalizado.

Também em nota, Claro, Oi e Telefônica informam que seus serviços não foram afetados.

Nesta quarta-feira (20), o Maria se tornou um dos furacões mais potentes a tocar o solo de Porto Rico. O fenômeno chegou à ilha classificado como furacão de categoria 4 (em uma escala que vai até 5). Pelo menos uma pessoa morreu.

Folha de S. Paulo

Dinarte Assunção

Biografia Dinarte Assunção é jornalista formado pela UFRN. Atuou em redações como repórter de cotidiano, economia e política. Foi comentarista político da TV Ponta Negra. Atualmente é reporter do Portal No Ar e compõe a equipe do Meio Dia RN, na 98 FM. É autor do livro Sobre Viver - Como Venci a Depressão e as Drogas. Nas horas vagas, assa panquecas.

Descrição Ponto ID é um blog para noticiar o que importa. E nada mais.