Notícias com a tag "dinheiro"

15/08/2017 09:40

PF e Receita realizam operação contra lavagem de dinheiro

A Polícia Federal – em ação conjunta com a Receita Federal – cumpre hoje (15) mandados judiciais contra uma organização criminosa transnacional responsável pelos crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas. As empresas controladas pela organização movimentaram mais de R$ 5,7 bilhões de recursos ilícitos de 2012 a 2016.

Cerca de 300 policiais federais e 45 servidores da Receita Federal estão cumprindo 153 ordens judiciais expedidas pela 13ª Vara Federal de Curitiba, sendo dois mandados de prisão preventiva, 17 de prisão temporária, 53 condução coercitiva e 82 de busca e apreensão em várias cidades do Paraná, de São Paulo, do Espírito Santo, de Minas Gerais e Santa Catarina.

Segundo a PF, as investigações, que começaram em 2015, tiveram como alvo um “grupo criminoso composto de cinco núcleos interdependentes que utilizavam contas bancárias de várias empresas, em geral fantasmas, para receber vultosos valores de pessoas físicas e jurídicas interessadas em adquirir mercadorias, drogas e cigarros provenientes do exterior, especialmente do Paraguai”.

Agência Brasil

07/08/2017 11:31

8 em cada 10 trabalhadores sacaram dinheiro do FGTS inativo, diz Caixa

A Caixa Econômica Federal informou nesta segunda-feira (7), durante divulgação do balanço final das contas inativas do FGTS, que as retiradas somaram R$ 44 bilhões entre 10 de março e o prazo final, 31 de julho.

O número superou a expectativa inicial do banco —em fevereiro, a projeção era que a medida permitiria injetar R$ 40 bilhões na economia.

Ou seja, 88% do montante passível de saque foi retirado pelos trabalhadores.

De acordo com o banco, 25,9 milhões de trabalhadores foram beneficiados pela medida, ou 79% do universo de 32,7 milhões de pessoas com recursos em contas inativas.

ATUALIZAÇÃO

Em um primeiro momento, a Caixa informava que o total de recursos passíveis de saque era de R$ 43,6 bilhões, mas a própria possibilidade de retirada fez os trabalhadores atualizarem suas contas, o que elevou esse montante para R$ 49,8 bilhões.

O mesmo ocorreu com o total de trabalhadores com recursos que podiam ser sacados: o número subiu de 30,2 milhões de pessoas para 32,7 milhões.

QUEM AINDA PODER SACAR

Presos e portadores de doenças graves que não conseguiram comparecer a uma agência da Caixa Econômica Federal têm mais tempo para sacar o dinheiro das contas inativas do FGTS.

Quem se enquadrar nas condições terá até 31 de dezembro de 2018 para resgatar os valores, desde que apresente comprovante que justifique a impossibilidade de comparecer a uma agência no período de 10 de julho a 31 de julho para solicitar o saque.

No caso do portador de doença grave, a Caixa exige um atestado médico que comprove a impossibilidade de comparecimento a uma agência.

Já o preso deve apresentar uma certidão obtida junto à Vara de Execução Penal, Vara de Execução Criminal ou juízo responsável que decretou a prisão. O documento também pode ser expedido pela autoridade da unidade prisional que custodiou o titular da conta.

Se houve algum problema na Caixa, o trabalhador poderá receber depois do prazo se tiver feito o pedido até o fim do prazo. Depois, a Caixa terá mais um mês para solucionar o problema.

Os outros trabalhadores que perderem o prazo não poderão sacar o dinheiro após o prazo. Segundo a Caixa, os créditos que não forem retirados permanecem nas contas do FGTS dos titulares. O dinheiro só poderá ser resgatado caso sejam atendidas algumas regras —como em casos de doenças graves ou demissão sem justa causa.

Folha de S. Paulo

28/07/2017 09:45

Quase metade das pessoas que sacaram FGTS usou dinheiro para consumo

Quase metade dos brasileiros que sacaram ou estão sacando recursos inativos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) pretende usar ou usará a renda extra para consumo.

Segundo estudo feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 47% usaram o dinheiro dessa forma. A maior parte, cerca de 35% desse total, pretende usar ou usaram o dinheiro para cobrir despesas do dia a dia.

“O fato de tantos consumidores usarem esse dinheiro extra para gastos frequentes do dia a dia é reflexo da dificuldade financeira do brasileiro que está com a renda menor. Fica o alerta para que o consumidor ajuste o seu padrão de vida para baixo, pois esse dinheiro extra é pontual e serve de alívio momentâneo”, disse a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Segundo o estudo, 35% dos trabalhadores estão usando ou usaram o dinheiro do FGTS inativo para quitar contas em atraso e 5% para abater pelo menos parte dessas dívidas. Ainda de acordo com a pesquisa, 12% das pessoas entrevistadas pretendem utilizar ou utilizaram esse dinheiro para antecipar o pagamento de contas não atrasadas, como prestações do carro e da casa.

Uma estimativa feita pelas duas entidades apontou que, até a segunda quinzena de julho, cerca de R$ 13,7 bilhões foram injetados na economia para o pagamento de dívidas. A expectativa é que mais R$ 380 milhões sejam movimentados nos próximos meses com a mesma finalidade.

O estudo foi feito em 12 capitais, com 800 pessoas com idade igual ou superior a 18 anos, de ambos os sexos e de todas as classes sociais. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais e a margem de confiança é de 95%.

Agência Brasil

25/07/2017 11:48

Governo cria regras para recuperar dinheiro pago a pessoas mortas

O presidente Michel Temer assinou uma Medida Provisória (MP) estabelecendo as regras para recuperar recursos pagos pela União, como salários e benefícios, a pessoas que morreram, em mais um esforço para reforçar o caixa do governo, que vem sofrendo com a frustração de receitas neste ano.

A expectativa era de que a ação poderia ajudar a levantar cerca de R$ 1 bilhão em 2017. A MP foi publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (25).

No texto, o governo estabeleceu as regras para restituição de valores creditados indevidamente por ente público em instituições financeiras, destacando que a MP não se aplica aos benefícios do Bolsa Família.

A ideia é que sejam estornados os pagamentos feitos indevidamente, já que hoje a comunicação do óbito aos órgãos públicos é feita com demora de cerca de três meses. Durante esse período, os recursos ficam parados ou sujeitos a saques fraudulentos.

A MP disciplina a devolução dos créditos, englobando tanto recursos recebidos por servidores, quanto por inativos, pensionistas e titulares de benefícios da Seguridade Social que já morreram.

Quando houver a comprovação do óbito pelo ente público, a instituição financeira terá de bloquear, de imediato, os valores pagos indevidamente, fazendo a restituição no quadragésimo quinto dia após o recebimento do requerimento.

“Na hipótese de não haver saldo suficiente para a restituição, inclusive em investimentos de aplicação ou resgate automático, a instituição financeira restituirá o valor disponível e comunicará a insuficiência de saldo ao ente público”, segundo a MP.

Folha de S. Paulo

19/07/2017 09:25

Moro determina que dinheiro do caso triplex seja destinado à Petrobras

O apartamento triplex do Condomínio Solaris, no Guarujá, litoral paulista, peça central do julgamento em primeira instância que condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e meio de prisão, será repassado à Petrobras. A decisão é do juiz federal Sérgio Moro, no despacho publicado em resposta a embargos de declaração da defesa do ex-presidente no processo.

“Tanto o produto do confisco criminal como o valor mínimo para a reparação dos danos são devidos à Petrobras”, escreveu o juiz.

Na publicação da sentença, na semana passada, Moro já havia decretado o confisco do apartamento por considerá-lo “produto de crime de corrupção e de lavagem de dinheiro”. A fim de assegurar o confisco, o juiz decretou o sequestro do imóvel independentemente dos recursos que devem tramitar em segunda instância.

O despacho de Sérgio Moro também aponta a Petrobras como destinatária dos valores de reparação de danos a que os réus foram condenados a pagar. A decisão inclui os R$ 16 milhões da suposta conta-corrente compartilhada entre a OAS Empreendimentos e o PT.

“Embora a ver do Juízo isso estava implícito na sentença, não há óbice em deixá-lo explícito”, escreveu Moro em resposta ao embargo de declaração da Petrobras.

Agência Brasil

24/06/2017 08:53

6 formas de ensinar as crianças a guardar dinheiro

Evitar que as crianças sejam consumistas é um desafio. A principal orientação é que sejam educadas financeiramente desde a infância, de acordo com o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos.

“A falta de paciência e o constante desejo por coisas novas são indícios de que crianças e jovens podem estar se tornando consumistas e devem ser educados financeiramente. O ideal é que aprendam, o quanto antes, a poupar para conquistar seus sonhos”, orienta Domingos.

Confira 6 formas de ensinar as crianças a guardar dinheiro:

1- Dê mesada

Caso a criança tenham contato constante com o dinheiro, pedindo valores com frequência, considere dar mesada. O ideal é que ela poupe parte do valor e use a outra parte para o consumo. Não é interessante poupar tudo, tão pouco consumir tudo – quando se trata de dinheiro, é preciso ter equilíbrio.

2- Converse sobre sonhos

Toda criança tem desejos e sonhos, que podem ser materiais (como ter brinquedos e livros novos) ou não materiais (como fazer um amigo, por exemplo). Reserve um momento em um ambiente agradável para falar sobre os sonhos.

3- Ensine a guardar em cofrinhos

É interessante que as crianças poupem para seus sonhos em três cofrinhos de tamanhos e cores diferentes, um para cada sonho: de curto prazo (a ser realizado em até um mês), médio prazo (seis meses) e longo prazo (até um ano).

4- Peça que desenhe os sonhos

Para que a criança tenha os sonhos sempre em mente, peça que desenhe e converse sobre cada um deles. Assim ela terá constante estímulo para realizá-los.

5- Veja se a escola debate Educação Financeira

Diversas escolas da região oferecem aulas de educação financeira para os alunos por meio do Programa DSOP de Educação Financeira nas Escolas. Assim a responsabilidade de educar financeiramente as crianças é compartilhada e os resultados são melhores. 

6- Dê o exemplo

As crianças são observadoras e aprendem muito pelo exemplo, portanto é importante que os pais tenham educação financeira, poupem para conquistar seus próprios sonhos e consumam de forma consciente.

23/06/2017 08:41

7 maneiras de ganhar dinheiro

Prestou atenção nas dicas elaboradas pelo Seven List? Agora, basta por em prática. Afinal, a vida não está fácil para ninguém.

Boa sorte!

07/03/2017 14:20

TJRN precisa de autorização da ALRN para gastar dinheiro excedente

Apesar de ter recursos excedentes em caixa, o Tribunal de Justiça precisa de autorização da Assembleia Legislativa para utilizar os recursos.

De acordo com Lei 4.320/1964, que disciplina a matéria, sobras orçamentárias devem ser utilizadas no ano fiscal posterior desde que sejam abertos créditos suplementates ou especiais. Compete à Assembleia Legislativa autorizar tais créditos.

Dos mais de R$ 570 milhões que o TJRN tem em caixa, cerca de 400 milhões seriam de sobras – a diferença é de receita própria, que o TJRN pode utilizar de acordo com seus próprios critérios.

A discussão sobre o uso dos recursos desses poder deverá ganhar novos episódios quando o governador Robinson Faria decidir se, em razão dessas sobras, diminui os repasses de duodécimos do Tribunal, conforme autorizou o STF.

Os números exatos sobre o que são sobras orçamentárias e o que é receita própria já foi solicitado pela reportagem ao TJRN, mas ainda não houve retorno.

Dinarte Assunção

Biografia Dinarte Assunção é jornalista formado pela UFRN. Atuou em redações como repórter de cotidiano, economia e política. Foi comentarista político da TV Ponta Negra. Atualmente é reporter do Portal No Ar e compõe a equipe do Meio Dia RN, na 98 FM. É autor do livro Sobre Viver - Como Venci a Depressão e as Drogas. Nas horas vagas, assa panquecas.

Descrição Ponto ID é um blog para noticiar o que importa. E nada mais.

Mais lidas