Notícias com a categoria "saude"

10/07/2017 10:57

Quase 40% dos brasileiros não sabem seu tipo sangue, aponta pesquisa

A, B, O ou AB? Quase 40% dos brasileiros não sabem responder essa questão, aponta pesquisa Datafolha feita no mês passado.

“Junho Vermelho”, afinal, é o nome da campanha cujo objetivo é estimular as doações de sangue. O mês não foi escolhido à toa: é quando os voluntários esmorecem. Férias, resfriados típicos da época e um resguardo de 30 dias pós-vacina da gripe explicam o menor movimento nos bancos de sangue no inverno.

“A gente fica falando ‘vamos doar sangue!’, mas uma parcela significativa da população nem sabe seu tipo sanguíneo. Olha a distância que existe até a ação. Já sabíamos que o brasileiro não tem a cultura de doar sangue e, agora, sabemos também que ele não tem esse conhecimento”, diz Debi Aronis, fundadora do Movimento Eu Dou Sangue –que encomendou a pesquisa– e do Junho Vermelho.

Os números, porém, podem ser piores, segundo ela. “Esse é o percentual de pessoas que admitiram não saber. Muitas têm vergonha de dizer que não conhecem seu próprio tipo sanguíneo.” (mais…)

04/07/2017 08:35

Testes rápidos de HIV estão disponíveis nas unidades de saúde de Natal

Assistência de saúde correta é um dos diferenciais para melhorar a qualidade de vida para pessoas que testam positivo para HIV. Exatamente por isso, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) tem uma série de serviços voltados para esse público. Nas unidades básicas de saúde do município, o paciente encontra o teste rápido de HIV. Em até 30 minutos, o usuário tem o resultado.
 
“O teste é sigiloso, o resultado fica entre o profissional de saúde e o paciente. Não é necessário nenhum tipo de encaminhamento para fazer o teste”, explicou Emilly Miranda, responsável técnica pelo Núcleo IST/AIDS e Hepatites Virais da SMS.
 
Caso teste positivo, o paciente já deve começar o tratamento e é orientado pelos profissionais da própria unidade sobre os procedimentos que deve adotar. Ele será encaminhado para o Serviço de Assistência Especializada (SAE), que possui uma equipe multiprofissional, com médicos infectologistas, enfermeiro, farmacêutico, psicólogo, assistente social e nutricionista.
 
Quanto mais cedo começar o tratamento, melhor será a qualidade de vida do paciente, inclusive com a diminuição da probabilidade de transmissão. “A adesão a esse tratamento é de extrema importância, pois proporciona uma sobrevida maior as pessoas vivendo com HIV, melhora sua qualidade de vida e entra também como uma estratégia de prevenção combinada, pois com o tratamento a carga viral do paciente diminuirá e com o nível de carga viral indetectável a probabilidade de transmissão é reduzida”, finalizou Emilly.

24/06/2017 11:10

Dicas de exercícios para ter uma barriga chapada

Aproveite as dicas e tenha aquela barriga sarada que sempre desejou.

23/06/2017 11:59

Como tirar o melhor proveito das comidas típicas

Junho é um dos meses mais aguardados pelos nordestinos. Não somente pelos festejos com arraiás e quadrilhas juninas mas, principalmente, pela fartura das comidas típicas, que tomam conta das ruas, mercados e festas de toda a região. Os pratos são fartos em calorias, não podemos negar, mas também contêm nutrientes importantes. O segredo é escolher e dosar as quantidades corretamente e aí, os alimentos típicos do mês de junho não necessariamente significarão quilinhos a mais e sim, benefícios para o organismo.

Entre os alimentos desse período, o milho, sem dúvida, é a estrela. Ele pode ser consumido cozido ou assado e ainda é base para diversos pratos típicos, como mungunzá, pamonha, canjica, bolo de milho verde ou de fubá. “O milho é um alimento saudável, rico em carboidratos, vitaminas do complexo B e E, de fósforo e potássio. Além de energia, fornece antioxidantes e é rico em fibra. Atenção, no entanto, quando inserido em receitas, pois sempre vem associado ao açúcar e, neste caso, a comida pode ficar bastante calórica”, orienta a professora do curso de Nutrição da Estácio Ponta Negra Thais Araújo.

De acordo com a professora, para quem não tem restrições, todos os alimentos são permitidos, desde que haja moderação. “Não é preciso resistir às tentações, basta saber escolher e ficar atento para não cometer exageros”, alerta Thais. Ela lembra que outro carboidrato bastante consumido no período é a mandioca, base da tapioca e do beiju. Tem as mesmas características energéticas do milho, mas não é tão rica em fibras.

O amendoim e o coco aparecem em muitos doces tradicionais, como o pé-de-moleque e a cocada. Ambos são ricos em gorduras vegetais. Por serem gordurosos, esses alimentos são mais calóricos que o milho e a mandioca. “No entanto, as gorduras vegetais não são tão perigosas quanto as animais para o sistema cardiovascular. Ao contrário, são até benéficas. Elas ajudam a aumentar a taxa de HDL, o chamado colesterol bom”, explica a professora. Então, vamos aproveitar bem as festas juninas e todas as delícias que vêm com elas.

21/06/2017 12:00

Saiba como aproveitar as comidas típicas do São João sem peso na consciência

A semana do São João chegou e com ela as comidas típicas que fazem muitas pessoas saírem da dieta. Apesar de serem saudáveis e nutritivas, as iguarias como amendoim, derivados do milho, entre outros alimentos típicos, costumam ser bem calóricas. Mas é possível comer um pouco de tudo sem pôr em risco a alimentação saudável. A coordenadora de nutrição da Clínica da Obesidade, Laila de Freitas, traz dicas de como aproveitar os quitutes e manter o peso.

“Primeiro, nas refeições que antecedem o evento, procure ingerir alimentos leves e menos calóricos. Não precisa pular refeições só porque pretende comer mais na festa. Segundo, escolha alimentos que realmente goste. Não coma só por comer. Por último, antes de ingerir determinado alimento, pense se realmente vale à pena. Coloque numa balança o esforço que está fazendo para perder peso”, enumera a especialista em emagrecimento saudável.

Um dos alimentos mais consumidos nas festas juninas é o amendoim cozido. Apesar de ser rico em vitamina C, potássio, magnésio, ferro, cálcio, zinco e fibras, o alimento é tão calórico, que 100g possui quase 500 calorias. “Por isso, é importante ficar atento à quantidade a ser ingerida para não ultrapassar as calorias e jogar o resultado fora”, alerta a coordenadora.

Além disso, a nutricionista sugere fazer trocas inteligentes e saudáveis, já que a maioria das preparações é caracterizada pelo valor calórico elevado. Uma pamonha média (60g) possui 413 calorias, três vezes mais o valor calórico de uma espiga de milho cozido (100g), que tem 132 calorias. A canjica ou mungunzá também deve ser consumido com moderação. Um copo pequeno (180g) possui 203 calorias.

Outra dica é adicionar canela em pó em pratos com alto teor de carboidratos, como mingau. “A canela diminui o tempo de esvaziamento gástrico, bem como da glicemia após ingestão de uma refeição. Além disso, possui ação antioxidante e antiinflamatória”, explicou Laila de Freitas.

Confira a tabela com as porções e a quantidade de calorias das comidas típicas do São João:

 

Alimento

Porção

Calorias (kcal)

Amendoim cozido

01 colher de sopa (20g)

95

Arroz doce

01 concha média (140g)

230

Bolo de aipim

01 fatia média (80g)

243

Bolo de milho

01 fatia pequena (50g)

171

Canjica (Mungunzá)

01 copo pequeno (180g)

203

Curau

01 fatia média (100g)

212

Cuscuz de milho

01 pedaço médio (135g)

256

Laranja

01 unidade média (180g)

86

Milho cozido

01 espiga grande (100g)

132

Mingau de tapioca

01 copo padrão (200ml)

312

Paçoca

01 unidade (30g)

114

Pamonha

01 unidade média (60g)

413

Pé-de-moleque

01 unidade (20g)

88

Pipoca salgada

01 saco médio (25g)

112

21/06/2017 09:40

Confira dicas para prevenção e cuidados com a asma

O Dia Nacional do Combate à Asma é em 21 de junho, a data busca lembrar dos cuidados para quem convive com a doença, além de alertar sobre os sintomas que podem indicar o diagnóstico. A doença crônica, também conhecida como bronquite asmática, é uma inflamação nas vias aéreas (brônquios) que conduzem o ar para os pulmões. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 300 milhões de pessoas sofrem da doença no Brasil.

A asma pode atingir pessoas de qualquer idade, mas geralmente são identificadas nos anos iniciais das crianças, principalmente quando a causa é genética. Os principais sintomas que pedem uma consulta ao médico, de preferência um pneumologista, são falta de ar, chiado no peito e tosse. O diagnóstico é confirmado após exames como o de sopro espirometria.

Nem sempre a causa da asma é a genética. Atentar-se para o dia a dia pode ajudar a identificar a doença. Alguns fatores desencadeiam a doença, dentre os mais comuns estão contato constante com substâncias alérgicas, ácaros, poeria, mofo, tinta, produtos de limpeza, fumaça, inclusive de cigarro, além da variação climática.

 
Medidas cotidianas que ajudam no tratamento
Apesar de não ter cura, existem tratamento eficazes que garantem um convívio confortável com a doença. De acordo com o médico pneumologista, dr. Sérgio Pontes, da Aliança Instituto de Oncologia, inicialmente aplicar medidas no comportamento é o primeiro passo para prevenir as crises. “Manter a higiene ambiental, o local sempre livre de fatores desencadeantes, evitar tapetes, cortinas, passar pano úmido, boa alimentação, atividades físicas regulares, consumo de água, dormir bem”

Tratamento farmacológico
Mas e quando essas medidas não são suficientes? “O tratamento farmacológico entra em ação. Bombinhas de ar, que são os broncodilatores, corticoide em lata, são substâncias que abrem os pulmões e propicia que paciente respire melhor”, afirma o Dr. Sérgio. Existem medicações de manutenção em que o paciente usa regularmente para evitar crises, e as medicações de resgate, inalações, nebulizações usadas em situações de emergências ou quando tem um desconforto maior.

Atividades físicas
Antigamente, era comum o paciente com diagnóstico de asma ser dispensado de atividades físicas no colégio, por exemplo. Há alguns anos isso caiu por terra. “As atividades físicas são altamente indicadas e ajudam a melhorar a qualidade de vida de um asmático. Não existe nenhuma restrição ou indicação, a atividade precisa ser prazerosa para que ele não deixe de realizar por qualquer impedimento”, ressalta o Dr. Sério que tem a natação como uma das atividades mais completas por controlar a respiração, mas faz um alerta “só é preciso tomar cuidado com piscinas ricas em cloro, podem desencadear crises de asma em pessoas alérgicas, porém existem as piscinas dessalinizadas que são amplamente seguras para atenderem esses pacientes”.

Crises respiratórias no inverno
Com a chegada do inverno é comum as crises aumentarem, isso se deve a vários fatores, as pessoas ficam mais enclausuradas em ambientes fechados, com pouca ventilação que tendem a acumular mais ácaros, as baixas temperaturas ou mudanças bruscas de temperatura. Para isso o dr. Sérgio indica “No inverno, além de todos os cuidados com os fatores desencadeantes, é importante manter a o ambiente bem ventilado, com pouco mofo. Tentar manter o ambiente mais arejado e ventilado”.

Dinarte Assunção

Biografia Dinarte Assunção é jornalista formado pela UFRN. Atuou em redações como repórter de cotidiano, economia e política. Foi comentarista político da TV Ponta Negra. Atualmente é reporter do Portal No Ar e compõe a equipe do Meio Dia RN, na 98 FM. É autor do livro Sobre Viver - Como Venci a Depressão e as Drogas. Nas horas vagas, assa panquecas.

Descrição Ponto ID é um blog para noticiar o que importa. E nada mais.